jump to navigation

Dazaranha – lançamento do 1º DVD 12/novembro/2010

Posted by rapidoerasteiro in Artes.
Tags: , , ,
add a comment

Parece que Floripa tem vocação para produzir bandas com nomes diferentes, especialmente na década de 1990, quando a cidade tinha grupos como Dazaranha, Stonkas y Congas (do qual eu participei), Primavera nos Dentes, Iriê, Phunky Buddha, entre tantos outros.

Desses que eu nomeei acima, apenas Iriê e Dazaranha continuam na ativa, ambos com lançamentos recentes. Sobre o Dazaranha especificamente, vale destacar o lançamento do seu primeiro DVD, gravado ao vivo no teatro do CIC, em Florianópolis.

Eu já tive a oportunidade de ver o DVD, e posso dizer que ficou excelente. A qualidade sonora ficou de primeira, e o show também estava muito bem resolvido. Destaque também para um documentário registrando a História do “Daza”. Só senti falta da participação dos artistas que gravaram a música “Ô Mané” no CD lançado pela banda há algum tempo atrás. Seria bacana contar com esse pessoal na gravação do DVD…

O evento oficial de lançamento do DVD será amanhã, no Floripa Music Hall. Recomendo o show.

E, como não poderia deixar de ser, recomendo a compra do DVD do Dazaranha, e também do CD do show. E digo comprar o material oficial, já que se trata de um grupo independente, que depende diretamente das receitas de shows e da venda dos seus trabalhos.

Para convidar então a todos para o show do Daza, e iniciar o feriadão com boa música, deixo abaixo uma das músicas do DVD, a música de maior sucesso da banda:

Anúncios

Sounds of the Digital Resistance 9/novembro/2010

Posted by rapidoerasteiro in Artes, Internet.
Tags: , , , , , ,
4 comments

Sounds of the Digital Resistance – MP3 from Audiogalaxy.com, ou “Sons da Resistência Digital – MP3 do Audiogalaxy.com”. O ano é 1.999, a bolha da internet estava por explodir, o Napster ainda era uma startup quase desconhecida e o compartilhamento digital de músicas era algo ainda bastante restrito, principalmente em tempos de conexão internet com linha discada. Me lembro que, na época, eu “ripava” (baixava) músicas de CDs em formato MP3 para não precisar ficar trocando os discos quando queria ouvir música no computador. Mas o compartilhamento de músicas era algo ainda bastante restrito.

O site Audiogalaxy.com é mais lembrado por ser um clone do Napster. Para quem não se lembra de nenhum dos dois, o Napster foi o aplicativo para compartilhamento de músicas e arquivos P2P mais famoso da década passada, até ser literalmente “engolido” pelas ações judiciais da indústria do entretenimento dos EUA. O Audiogalaxy.com, que disponibilizava o aplicativo “Satellite” foi no mesmo caminho, porém não teve a “sorte” de ter sido comprado por um grande grupo de investidores, como o que aconteceu com o primo famoso, o Napster. Assim, coberto por uma avalanche de ações judiciais, o Audiogalaxy praticamente saiu de cena logo após 2.002.

Porém, a História não tem sido justa o suficiente com o Audiogalaxy, na minha opinião. Creio que posso dizer isso porque participei de um feito histórico promovido por este mesmo site. O ano era 1.998, a internet como meio de divulgação digital de músicas estava apenas engatinhando. Na época, eu tocava com o Stonkas y Congas, banda sobre a qual já falei aqui neste blog.

Nós recém tínhamos lançado no nosso CD Single com 4 músicas, produzido pelo mestre e amigo Nelson Meirelles, que na época já tinha no currículo bandas como Cidade Negra e O Rappa. Como toda banda independente, estávamos procurando um espaço para divulgar o nosso trabalho. E eu na época me deparei com o Audiogalaxy, que oferecia espaço para hospedagem do site e de músicas em MP3 para Bandas e Gravadoras independentes, entre outras coisas.

Para a minha surpresa, poucas semanas depois de ter publicado o site e as músicas dos Stonkas, o próprio pessoal do Audiogalaxy fez uma review das músicas do CD, trazendo uma crítica bastante positiva, aliás. E para uma surpresa ainda maior, algum tempo depois recebi um pedido de autorização para publicar uma das nossas músicas na “primeira coletânea mundial de MP3”, segundo eles mesmos.

Algum tempo depois recebi em casa uma cópia do CD Sounds of the Digital Resistance – MP3 from Audiogalaxy.com, cuja capa está aqui ao lado (foi a única foto que sobreviveu para contar a História). Realmente, trata-se de uma coletânea mundial de músicas em formato MP3, gravadas por artistas independentes de todo o mundo, uma verdadeira proeza do Audiogalaxy e, até onde se sabe, foi o primeiro álbum do gênero em todo o mundo. E, como sempre tem um brasileiro em tudo neste mundo, Stonkas y Congas é a banda representante do Brasil, diretamente de Florianópolis/SC.

Achei importante adicionar este capítulo à História da internet, pois não encontrei nada quando procurei o CD no Google e no Bing. Não sei se serei lido, nem se esta informação será acrescentada nas páginas que contam a história do Audiogalaxy e do compartilhamento de MP3 na rede. Mas pelo menos fiz a minha parte.

Ainda sobre o Audiogalaxy, faz poucas semanas o site foi “ressuscitado” por alguns dos seus fundadores, com um aplicativo que permite que você ouça as suas músicas em MP3 de qualquer lugar do mundo (inclusive no celular), via streaming, ao vivo. Parece ser interessante, mas será que vai pegar?

Ok, Go! – música para assistir 26/setembro/2010

Posted by rapidoerasteiro in Artes, Internet.
Tags: , ,
add a comment

Uma das coisas mais bacanas da Internet é que a rede abriu espaço para bandas que não tiveram acesso a grandes produtoras e gravadoras. Sem ter grana para o “jabá” (definição do falecido Tim Maia para “presentes” dados para os canais de comunicação – em dinheiro ou “mimos” – em troca de veiculação das músicas/clipes), alguns grupos conseguiram conquistar espaço com boa música (às vezes) e muita criatividade (sempre).

Um exemplo é a banda OK GO (EUA), com clipes muito legais, todos eles gravados em um único take e disponibilizados no Youtube (http://www.youtube.com/OkGo). Sucesso total.

Deixo abaixo o clipe mais recente (White Knuckles) e também o meu preferido (This Too Shall Pass), com uma máquina Rube Goldberg sincronizada com a música (para quem não sabe, uma máquina Rube Goldberg é uma parafernália super complexa construída para realizar tarefas super simples – vendo o clipe fica fácil entender).

Bem, chega de blablabla e vamos às músicas. Boa diversão!

OK GO – White Knuckles

OK GO – This Too Shall Pass

Buenos Aires rápido e rasteiro – 1 8/junho/2010

Posted by rapidoerasteiro in Artes, Diversos.
Tags: , , ,
add a comment

Todo mundo diz que viajar é muito bom. Bem, isso pode ser verdade, se a sua expectativa enquanto viajante for atendida. Neste final de semana, aproveitando o feriado de Corpus Christi aqui no Brasil, aproveitei e dei um pulo até a capital da Argentina, terra dos nossos “hermanos”: Buenos Aires.

O que eu achei da viagem? Hum… vamos ver… vou deixar esta resposta para o final, para garantir a leitura deste e dos próximos posts (serão 3 ao total).

E, aproveitando a experiência adquirida, vale a pena aqui também deixar algumas dicas, caso alguém queira ir para lá também.

Expectativas – no meu caso, a expectativa era conhecer uma nova cidade, passear, comer bem, ir ao Cirque du Soleil e, aproveitando o câmbio favorável, fazer boas compras.

Preparativos – com as facilidades da rede, qualquer um pode montar o seu próprio pacotes turístico. Porém, a experiência me recomenda sempre recorrer a agências de turismo de confiança por duas questões principais: segurança e preço. Primeiro, porque uma boa agência não deve colocar o cliente em “roubadas”, além de providenciar toda a infraestrutura para a viagem; Segundo, operadoras e agências de viagem conseguem ter volume para conseguir preços melhores para tarifas aéreas e de hospedagem.

Também vale a pena consultar redes sociais e sites especializados para obter dicas sobre o que fazer e o que visitar no destino. E, se você quer aproveitar alguma atração local, também já pode hoje comprar os ingressos pela internet.

No meu caso, tive muita sorte, “atirei no vi e acertei o que não vi”. Explico: estava procurando ingressos para o grupo “Les Luthiers”, que gosto bastante, e descobri que o Cirque du Soleil estava em Buenos Aires com o espetáculo Quidam, algo que nem a agência de turismo sabia. Escolhi o circo e já saí daqui com os ingressos comprados.

Com 1 semana de antecedência, fui retirar os vouchers e demais documentos na agência de turismo. Estava tudo OK, com exceção do horário do vôo de volta: inicialmente, havia marcado a saída para as 17:30 horas direto para Florianópolis, o que daria para aproveitar um último dia de turismo. Porém, sem aviso prévio, a Gol cancelou o vôo e trocou para as 14:30 horas, com conexão em Guarulhos, reduzindo ainda mais o pouco tempo que tinha em Buenos Aires… fazer o que, né…

(continua)

World music = Música mundial 26/fevereiro/2010

Posted by rapidoerasteiro in Artes, Internet.
Tags: , , ,
add a comment

Para fechar uma semana “musical”, com posts falando sobre o assunto.

Até pouco tempo atrás o termo “World Music” servia para classificar estilos musicais até então “inclassificáveis”, principalmente por conter uma mistura de elementos regionais de várias partes do mundo. Para nós brasileiros, o nome mais conhecido no estilo é Paul Simon, que gravou várias músicas acompanhado dos tambores do grupo bahiano Olodum.

Porém, ao analisar recentes iniciativas musicais como Youtube Symphony Orchestra, a versão Youtube de “We are the world”, só para citar dois exemplos, temos uma nova concepção para o termo World Music: música realmente feita por pessoas do mundo todo, e não apenas contendo elementos musicais de diferentes regiões.

Um dos melhores exemplos disso é a iniciativa “Playing for change” (www.playingforchange.com), que mostra gravações unindo o trabalho de músicos de rua do mundo todo e inclusive deu origem a uma ONG que tem como um dos seus objetivos ajudar as comunidades que abrigam esses músicos, especialmente aqueles que colaboram com a iniciativa. Também foi criado um selo chamado “Timeless Media”, para distribuir alguns produtos que financiam a ONG, entre eles CDs e DVDs que inclusive podem ser comprados aqui no Brasil nas lojas especializadas.

Para entender melhor essa ampliação do conceito de world music, fica mais fácil assistir a um dos vídeos do playing for change:

Novo “We are the world” tem resposta impressionante 24/fevereiro/2010

Posted by rapidoerasteiro in Artes, Internet.
Tags: , , , ,
1 comment so far

O post anterior falou sobre a nova gravação da música “We are the world”, cuja renda será revertida para ajudar as vítimas do recente terremoto no Haiti. Este continua o assunto, por assim dizer.

Mais uma vez, a resposta à música está sendo muito grande, porém com toques de web 2.0. Mais do que simplesmente “viralizar” a versão original da música, a rede está criando as suas próprias versões de We are the world. Uma delas, que aliás chama a atenção pela qualidade vocal dos anônimos que cantam a música (muitos deles cantam muito melhor que os artistas da versão “oficial” de 2010), realmente surpreende pela qualidade e também está fazendo muito sucesso, ajudando o movimento e direcionando mais pessoas para o site www.world25.org, que está concentrando as doações em nome da ONG “We are the World Foundation”.

Por mais que eu utilize a rede e trabalhe com internet, ações como essa ainda me surpreendem. Há 10 anos atrás ou em até menos tempo, algo como isso seria impensável. A tecnologia digital não apenas possibilitou o compartilhamento das gravações, mas permitiu que as pessoas fizessem gravações caseiras com ótima qualidade, às vezes comparáveis aos melhores estúdios.

Vale a pena assistir o vídeo, batizado de “We are the world – Youtube version”.

“We are the world” again… 22/fevereiro/2010

Posted by rapidoerasteiro in Artes.
Tags: , , , ,
add a comment

Faz 25 anos que o mundo ouviu pela primeira vez a música “We are the world”, composta por Michael Jackson e Lionel Richie e produzida pelo maestro Quincy Jones e por Michael Omartian. A gravação tinha por objetivo angariar fundos para combater a fome no continente Africano por meio da venda dos discos, e contou com os principais artistas que atuavam nos EUA na década de 1980. Entre eles estavam os próprios compositores além de nomes como Ray Charles, Bob Dylan, Paul Simon, Tina Turner, Stevie Wonder, Bruce Springsteen, e até o percussionista brasileiro Paulinho da Costa, totalizando 45 artistas (sempre tem um brasileiro…).

Para aqueles nascidos depois da década de 1980, a lembrança desta música deve estar mais associada a uma versão de autoria de uma ex-BBB que literalmente “assassinou” letra e melodia, que aqui no Brasil ficou conhecida pelo título “iarnuou”.

Após a tragédia ocorrida recentemente no Haiti, o maestro Quincy Jones teve a idéia de regravar essa mesma música, também com o propósito de angariar fundos para ajudar as vítimas de mais uma tragédia. Se você quer ajudar, dessa vez não há mais disco ou mídia física, basta comprar a música no iTunes, ou então acessar www.world25.org para fazer a sua doação.

A estréia da música aconteceu na abertura dos Jogos Olímpicos de Inverno de Vancouver (Canadá), neste mês de Fevereiro/2010. Um vídeo apresentado pelo ator e cantor Jamie Foxx está no youtube:

Planeta Atlântida 2010, ou “mais do mesmo”… 7/janeiro/2010

Posted by rapidoerasteiro in Artes.
Tags: , , ,
add a comment

Um evento bastante aguardado nos verões dos litorais de Santa Catarina e Rio Grande do Sul é o Planeta Atlântida, promovido pela Rádio Atlântida, do Grupo RBS, que também detém a TV RBS, emissora afiliada da Rede Globo para os dois Estados.

Já tive a oportunidade de ir e tocar (bons tempos de músico…) nesse festival em ambos os Estados. Pelo que me lembro, toquei nas edições de 2000, 2003 e 2004 em Florianópolis/SC e também em 2004 na praia de Atlântida/RS, e também fui como expectador nas edições de 2005 e 2007 novamente em Floripa.

No início desta semana eu estava dirigindo e ouvindo o programa Pretinho Básico, da rádio Atlântida, quando o pessoal estava revisando para o público quais seriam as atrações da edição 2010 do Planeta. O primeiro pensamento que tive foi “putz, mais um ano sem grandes novidades”. Assim que encontrei os amigos, e mais tarde o pessoal em casa, perguntei o que eles acharam das atrações do Planeta Atlântida 2010, e as opiniões foram unânimes: “mais do mesmo”. E, assim, por mais um ano, não iremos ao Planeta.

Ontem eu esava novamente ouvindo o Pretinho Básico (aliás, muito engraçado), e o pessoal novamente fez o repasse das atrações do Planeta 2010. Olha, não sei se é cisma minha, mas percebi que nem os caras da própria emissora se empolgam em divulgar todos os anos quase sempre as mesmas atrações. Por mais que coloquem palcos “alternativos” ao palco central (aliás, algo que é bacana no RS, mas é inviável em Floripa, onde o local é menor e o som do palco principal “cobre” todos os demais locais do evento) , parece que a fórmula do Planeta está um pouco gasta.

Algo que algumas pessoas comentaram comigo e que eu concordei é que já está na hora do Planeta Atlântida trazer atrações internacionais de peso, pois tem tamanho (e portanto orçamento) para tal. Isso não quer dizer trazer artistas em fim de carreira como já foi feito com um decrépito Colin Ray (alguém se lembra do “Men at Work?” – ele era o vocalista), se eu não me engano em 2002. A banda era tão “fim de carreira” que o pessoal da sonorização me ligou na época perguntando se eu não poderia emprestar o meu microfone sem fio para saxofone para o show em Floripa (fala sério!!!).

O mais engraçado é que em Fevereiro teremos show da Beyoncé (essa sim, uma artista internacional que está no auge) em Floripa, no mesmo local onde será realizado o Planeta Atlântida agora em Janeiro.

Quem sabe, para 2011, a RBS poderia investir mais e melhor no Planeta Atlântida, programando desde já a contratação de pelo menos 2 atrações internacionais. Bandas, cantores e cantoras interessantes não faltam, com certeza.

U2 ao vivo no canal… Youtube! 22/outubro/2009

Posted by rapidoerasteiro in Artes, Internet.
Tags: , , , ,
add a comment

Para aqueles que duvidavam que a TV demoraria a migrar para a internet, eis aqui mais uma prova de que a mudança acontecerá mais rápido do que se imagina. De acordo com o canal oficial do U2 no Youtube, o show que a banda fará no próximo sábado (dia 25/10/2009) no famoso estádio Rose Bowl nos EUA será transmitido ao vivo pelo site. O show faz parte da tour 360º da banda irlandesa.

Que Bono & Cia Ltda sempre gostaram de inovar, não é novidade alguma. É que desde o disco Zooropa a banda tem feito dos seus shows verdadeiros espetáculos multimídia, e outras iniciativas também se somam a isso. Aliás, a prática de divulgar um número para envio de torpedo SMS em eventos públicos começou a “pegar” exatamente depois que o Bono fez isso em um show. Pessoalmente, até gosto de algumas músicas do U2, mas com certeza não é a minha banda favorita. Mesmo assim, admiro muito a capacidade da banda em continuar inovando mesmo depois de mais de duas décadas de carreira. Definitivamente, os caras não estão cansados.

Acho que não é a primeira vez que uma banda transmite um show pela internet, mas os marketeiros de plantão se encarregam de juntar uma banda famosa com uma empresa inovadora para lançar uma “novidade” que não é tão nova assim… até porque o próprio U2 já transmitiu um show pela internet em 1997, na época pelo site da Microsoft (mas será que alguém viu? Mesmo nos EUA, banda larga era coisa rara na década de 1990).

E a jogada é mesmo ambiciosa, pois o show começa às 8:30 da noite (20:30) no horário local (Pasadena, Califórnia). Apesar de ser em um sábado, 8:30 da noite ainda é horário nobre da TV. Ou seja: o youtube começa oficialmente a cutucar as emissoras de televisão. Ah, e um detalhe: a semelhança entre os nomes da banda U2 e do site Youtube (que até poderia ser escrito como “U2b”) é uma coincidência e tanto que está sendo devidamente promovida, mesmo que não diretamente.

A parte boa é que até agora as transmissões ao vivo pela web são ações pontuais e, talvez, com a entrada do Google  ditando uma tendência, o mercado “siga o líder” e passe a fazer as transmissões de forma mais intensiva. Já faz algum tempo que o Youtube vem transmitindo eventos ao vivo, principalmente shows (já fez com o wil.i.am do Black Eyed Peas e com a Kate Perry), e a tendência é só aumentar a programação. Com isso, as emissoras de TV que ainda não entraram para a web de forma definitiva precisarão se agilizar.

Por fim, resta a pergunta: todos sabemos que a infra-estrutura do Google é gigantesca e confiável, mas será que o Youtube vai aguentar o tráfego gerado pelo site durante o show do U2?

Com certeza, vale a pena conferir a resposta na madrugada de sábado para domingo às 01:30 horas (horário brasileiro de verão) no endereço http://www.youtube.com/u2.

Ferris Bueller está de luto 7/agosto/2009

Posted by rapidoerasteiro in Artes.
Tags: ,
add a comment

Para quem não está associando o nome ao filme, Ferris Bueller é o personagem interpretado por Matthew Broderick no “clássico” filme “Ferris Bueller’s Day Off”, que no Brasil foi chamado “Curtindo a Vida Adoidado”, lançado em 1986.

O luto deve-se à morte do Diretor do filme, John Hughes, conforme noticiou o ClicRBS. Confesso que não sabia, afinal de contas não sou nenhum viciado em filmes, mas Hughes também dirigiu outros filmes de muito sucesso nos anos de 1980. Nada de muito cult ou que tenha recebido milhares de prêmios, mas foram filmes muito famosos que acompanharam boa parte não só da minha infância, pré-adolescência e adolescência, mas também de muitas pessoas que conheço. Ou seja, aqueles que nasceram entre o fim dos anos 60 e o início dos anos 80 se lembram de filmes como Gatinhas e Gatões, A Garota de Rosa Shocking, O Clube dos Cinco, Férias Frustradas, Mulher nota 1000, Antes só do que mal acompanhado, entre tantos outros que Hughes dirigiu, produziu, ou trabalhou como roteirista.

Como não poderia deixar, deixo abaixo como homenagem a cena de Ferris Bueller dublando Twist and Shout dos Beatles, no filme “Curtindo a Vida Adoidado”, para matar a saudade das comédias dos anos 80. Bom fim de semana a todos.

%d blogueiros gostam disto: