jump to navigation

Manifesto Ágil tem “apenas” 10 anos… 13/julho/2011

Posted by rapidoerasteiro in Gestão.
Tags: , , ,
trackback

Desde que li o livro “Crystal Clear: a human powered methodology for small teams“, virei um fã do pessoal que fez o Manifesto Ágil, entre eles o escritor do livro, Alistair Cockburn. Seguindo o perfil twitter dele, vi uma foto muito interessante, e de certa forma histórica: a imagem que mostra a sala onde o manifesto foi escrito, em 2001.


Para quem ficou curioso(a), não se trata de nenhuma instalação luxuosa, mas trata-se apenas de uma sala de reuniões normal. Para quem está duvidando, dá para perceber a semelhança com a imagem de fundo do site oficial do manifesto, em http://agilemanifesto.org/.

Ainda há muitos gestores que ainda têm o preconceito de que o Gerenciamento Ágil de projetos é um modismo, ou uma “nerdice” que só se aplica a alguns poucos casos de projetos de software.

Para aqueles que ainda tiverem essa visão distorcida, é sempre bom relembrar o que o manifesto disse (tradução minha), em 2001:

Nós estamos descobrindo maneiras melhores de desenvolver software, fazendo isso e ajudando que outras pessoas também o façam. Por meio deste trabalho, chegamos aos seguintes valores:

  • Indivíduos e interações, mais do que processos e ferramentas;
  • Software em funcionamento, mais do que documentação abrangente;
  • Colaboração do cliente, mais do que negociação do contrato;
  • Responder a mudanças, mais do que seguir um plano.

Ou seja, mesmo que haja valor nos itens à direita, nós valorizamos mais os itens à esquerda.

Antes de mais nada, me espanta que esse tipo de pensamento lúcido só tenha sido registrado adequadamente no século 21. Muitas foram as pessoas que levantaram essas ideias décadas antes, mas creio não terem sido entendidas, ou simplesmente foram abafadas pelas práticas então vigentes. E é interessante perceber se duas ideias centrais bastante claras e coerentes no manifesto ágil:

  1. As pessoas são e sempre serão parte fundamental nos projetos; e
  2. Todos devem focar os resultados do projeto.

Também é importante destacar que o Gerenciamento Ágil também deixa claro que há valor em práticas como planejamento, documentação, processos e ferramentas formais, etc. Portanto, nota-se que práticas como as descritas no PMBOK, CMMI, MPS.BR, entre outras, podem sim conviver com processos de Gerenciamento Ágil de projetos.

Olhando para o presente e para o futuro próximo, também nota-se que outras disciplinas além do desenvolvimento de software também podem se beneficiar desses valores. Ao dar mais atenção às pessoas, com suas qualidades e defeitos, e ao buscar os resultados dos projetos mais do que a burocracia e a formalidade, que a própria Engenharia pode colher bons frutos.

Ou seja, não há nada de místico no Gerenciamento Ágil de Projetos. Ele é tão direto e simples quanto as instalações da sala onde o manifesto ágil foi escrito: lá havia todas as condições para as pessoas realizarem o trabalho pretendido, com recursos suficientes para que os resultados fossem alcançados.

Anúncios

Comentários»

No comments yet — be the first.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: