jump to navigation

Computador indiano é reprovado pelo MEC 4/maio/2009

Posted by rapidoerasteiro in Gestão, Tecnologia.
Tags: , , , , , , , ,
trackback

Hare baba! (me desculpem, mas não resisti à brincadeira…)
Segundo a TI Inside On-line, o laptop indiano que havia vencido a licitação do Ministério da Educação (MEC) para a compra de 150 mil computadores educacionais do projeto Um Computador por Aluno (UCA) será desclassificado. O motivo: os equipamentos oferecidos pela empresa Comsat (foto ao lado), que são laptops Encore modelo Mobilis, foram recusados no teste de aderência pelo Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), ou seja, não atendiam às especificações técnicas do Edital da licitação.

O MEC ainda não se manifestou oficialmente sobre a desclassificação da Comsat, mas a reportagem indica que isso deverá ser feito nos próximos dias ou semanas.

Com isso, há uma notícia boa e outra ruim: a boa é que as empresas em segundo e terceiro lugar nessa licitação são brasileiras, respectivamente CCE/Digibrás e Positivo. Ou seja, incialmente será reconhecida como vencedora a CCE/Digibrás e, caso não haja um acordo sobre os valores prometidos nas propostas então enviadas, o MEC passa a negociar automaticamente com a Positivo.

A má notícia é que, considerando este imbroglio, a compra dos laptops para as escolas só deverá ser concretizada no segundo semestre deste ano, atrasando ainda mais o projeto educacional do MEC. Além do prejuízo do atraso por si só, é bem provável que quando os equipamentos forem completamente entregues, eles não terão mais a melhor configuração, já sendo um pouco ultrapassados.

Há algum tempo atrás conversei com um amigo que é servidor público na área de TI e ele me confidenciou que, por mais que seja necessário, da forma que acontece atualmente o processo licitatório é demorado demais para compras de equipamentos de informática. E, por causa da morosidade das licitações, o que normalmente se faz nos editais é especificar equipamentos superdimensionados, que serão adequados ou às vezes até ultrapassados quando forem entregues. O prejuízo aqui é que o Estado acaba tendo que pagar um superior pelos computadores, pois os preços pagos são os dados pelos fornecedores nas fases de análise de propostas das licitações, bastante anteriores às datas de entrega. Por outro lado, não dá para dispensar a formalidade da licitação, para garantir a honestidade nas compras. Enfim, é um problema complexo.

De volta à questão da licitação do MEC, todos já sabem da urgência que o Brasil tem para efetivamente avançar na alfabetização digital dos alunos do ensino básico e fundamental. Isto precisa ser feito para que o país tenha competitividade num futuro cada vez mais globalizado e onde a tecnologia passa a ser cada vez mais importante, pois as crianças de hoje serão os profissionais de amanhã. E, atrasos como esse que foi noticiado, definitivamente, não ajudam em nada.

A nós, resta torcermos para que tudo se resolva o mais rápido possível.

Anúncios

Comentários»

1. Vinícius - 13/maio/2009

Antes de mais nada avançar na edução do bê-a-bá é mais importante.
Além de informatizar garantir que o aluno aprenda matemática, regras gramaticais e de redação de sua própria língua, sua própria história, sua própria geografia e a do mundo globalizado.
Computadores, humm, acho que os alunos vão querer ficar desenhando e entrar no msn se houver internet ambiente.
Vai ser difícil não conter a distração

rapidoerasteiro - 13/maio/2009

Pois é Vinícius, estamos em época de grandes mudanças. E o problema maior é que não há um nivelamento entre os alunos, a disparidade é muito grande, pois há alguns que já “nasceram com o computador no colo”, e outros que ainda nunca mexeram nessas máquinas.
Além disso, os próprios professores não sabem o que fazer com o computador, e muitos deles realmente não dominam o uso das ferramentas de informática. E também não entendem a forma com a qual a nova geração faz uso da tecnologia, principalmente com a internet acessível facilmente.
Ou seja, o desafio é grande. Primeiro, capacitar alunos e professores para que saibam utilizar o computador. Segundo, desenvolver métodos que incorporem as mudanças de paradigma necessárias para unir aprendizado com tecnologia e despertando continuamente o interesse dos alunos e dos professores.


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: