jump to navigation

Empresas deixam área de TI sem direção 1/maio/2009

Posted by rapidoerasteiro in Gestão.
Tags: , , ,
trackback

Hoje é dia 1º de Maio, Dia do Trabalhador, também chamado por muitas pessoas de “Dia do Trabalho” (na verdade, é um “dia sem trabalho”, já que é um feriado), resolvi escrever sobre algo relacionado ao tema.
Li na CIO on-line a matéria “Empresas mantêm vagas de CIO em aberto” e, realmente, sou obrigado a concordar com as conclusões feitas no texto. Segundo a reportagem, boa parte das corporações (principalmente nos EUA), incluindo empresas de serviços, varejo e bancos de investimento,  não estão substituindo os seus Diretores de TI, deixando os cargos em aberto e delegando as tarefas estratégicas para profissionais com funções mais operacionais.

Eu também vi esse filme aqui no Brasil, e não faz muito tempo. Ao não contratar um novo Diretor de TI, as questões estratégicas sobre a tecnologia da informação foram “pulverizadas” para diversos profissionais. O problema maior na minha visão é que, ao deixar a TI sem um responsável, corre-se o risco de não realizar as metas estratégicas determinadas e, o pior, há o perigo de falta de coordenação e coerência nas ações tomadas por cada um dos responsáveis pelas questões de tecnologia da informação que foram distribuídas.

A idéia que motiva as organizações a tomar esse tipo de atitude é economizar o salário de um profissional que, sabidamente, é caro. Porém, a maior parte da literatura sobre gestão diz que a descentralização de funções normalmente traz retrabalho, que acarreta aumento de custos, entre outros problemas. Um desses problemas é que, ao se descentralizar a responsabilidade sobre a área de TI, cria-se vários “donos” pela área, sem um responsável determinado para alinhar os trabalhos e as estratégias. E, como diz o ditado, “cachorro com mais de um dono morre de fome”.

Apesar de ter formação na área de TI, eu particulamente acredito que a tecnologia da informação deve ser uma ferramenta para dar suporte às operações da empresa, e não algo com um fim em si mesmo. Ou seja, a área de TI deve trazer soluções para problemas trazidos pelas áreas de negócio e de operações da empresa, contando fundamentalmente com o comprometimento dos solicitantes. E, para que as soluções dadas tenham alinhamento estratégico, é fundamental que haja um dirigente que contextualize as demandas e direcione as direções rumo ao destino desejado pela empresa.

Sendo assim, parece que essas organizações estão sofrendo de miopia empresarial, causada pelo medo gerado pela crise. Ou seja, não estão enxergando que a falta de um CIO não representa grande economia, que será consumida pelos custos do retrabalho causado pela descentralização. Também não estão vendo que isso aumentará os riscos da empresa, já que a falta de alinhamento na estratégia de tecnologia pode fazer perder novas oportunidades de melhorar a sua eficiência operacional.

Anúncios

Comentários»

1. Vinícius - 13/maio/2009

Acredito que não seja economia, isso me cheira a estratégia. Ver todo mundo se matar de trabalhar acumulando funções e desejando se destacar para ser o novo CIO se um dia for escolhido um novo. Muitas empresas devem acreditar que isso traz melhores resultados nos setores que receberam partes das tarefas. Bem, é o que me parece.


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: