jump to navigation

Governo do DF investe pesado em tecnologia para a Saúde 30/abril/2009

Posted by rapidoerasteiro in Gestão, Tecnologia.
Tags: , , , , ,
trackback

Estou lendo a Revista TI Inside deste mês e me espantei com a reportagem “Saúde adota TI e vira a página”. Eu não sabia, mas o Sistema Integrado de Saúde (SIS) do Governo do Distrito Federal é referência internacional em tecnologia para a gestão da saúde. Cada cidadão usuário do SIS recebeu um Cartão Saúde do Cidadão que permite inclusive o acesso via internet a exames, prontuários, etc.

No lado da gestão, a integração entre as unidades de saúde permitiu chegar a resultados como reduzir o tempo para a liberação de leitos em hospitais públicos em mais da metade, por exemplo. Agora, o que mais impressiona são os números da economia gerada pelo sistema: 74% menos gastos em medicamentos injetáveis; 70% menos gastos em comprimidos; 50% menos gastos globais nos hospitais. E tudo isso com melhoria nos serviços prestados à população, medidos por indicadores.

Um número que espanta diz respeito à baixa eficiência dos nossos profissionais da saúde que, devido à alta burocracia (ou seria “burrocracia”) dos processos dos sistemas de saúde, dedicam no máximo 40% do seu tempo aos pacientes. Uma das principais causas é o excesso de documentação que é necessário preencher, além do retrabalho e da baixa integração de informações entre os profissionais e unidades de atendimento. E isso não é exclusividade do Brasil: segundo a matéria, na Inglaterra esse número é no máximo 45%, e nos EUA é 55%.

Acredito que a tecnologia pode sim ajudar a resolver o problema, porém ela sozinha não é o “Santo Graal”. Antes de qualquer coisa, é necessário sensibilizar as pessoas, ajustar os processos e, a partir disso, buscar as tecnologias mais adequadas. Gostei do que foi feito no DF nesse sentido. Um bom exemplo é o seguinte: foi detectada uma forte resistência dos médicos em relação ao uso de tecnologias e, assim, optou-se primeiro por adaptar o prontuário eletrônico para o formato desktop (mais familiar aos médicos), para só depois então pensar em utilizar dispositivos móveis, como PDAs ou Celulares. Decisão mais que acertada, uma vez que era fundamental contar com a adesão total dos médicos, um fator crítico de sucesso para o projeto.

Outra questão muito interessante é a disponibilização de ATM’s para que os cidadãos possam acessar o SIS. Como boa parte da população ainda não tem computador e nem acesso à internet, disponibilizar “caixas-saúde eletrônicos” em locais estratégicos é uma decisão acertada, para que as pessoas possam consultar/imprimir exames, agendar consultas, etc. Considerando que o bom uso dessa comodidade também é algo importante para o sucesso do projeto, é importante que haja monitores para dar suporte aos cidadãos que queiram acessar o SIS.

Enfim, quando coisas boas são feitas, temos que apoiar. Parabéns so Governo do Distrito Federal pela iniciativa, que espero ser adotada em breve por outros Governos.

Agora também fica o desafio, que depende não só dos Governos, mas também das operadoras: que tal incluir a tecnologia mobile (celular) nesse sistema? Proponho isso porque, se a maioria das pessoas não têm computador/internet, quase todos hoje têm um telefone celular.

Anúncios

Comentários»

No comments yet — be the first.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: