jump to navigation

Stonkas y Congas? 7/março/2009

Posted by rapidoerasteiro in Artes.
Tags: , , , ,
trackback

Tudo bem, confesso que o nome realmente parece estranho. Mas foi uma banda que fez um relativo sucesso em Santa Catarina nos anos 90, e da qual tive a honra de fazer parte.

Para quem não sabe, os Stonkas (como o pessoal nos chamava) surgiram em meados de 91/92 e rapidamente se destacaram localmente, tocando reggae roots (tradicional) e moderno. O repertório incluía clássicos de Bob Marley, bandas mais novas como Steel Pulse, Third World, entre outros, além de músicas próprias.

A primeira formação, com o vocalista Paulo Chocolate durou até o início de 1993, quando houve a troca na voz principal e o caribenho Philo Ranks (Phillip Roxburgh na vida real), diretamente de Trinidad e Tobago, assumiu o comando dos vocais. No meio disso, a posição de baterista foi assumido pelo Luciano Fadel, substituindo o figuraça Zamba. Logo após a entrada do Philo, também entramos eu (Marcus Rocha) e meu amigo Rogério Kohler (que ficou alguns meses apenas), nos sax alto e tenor respectivamente. Ou seja, ajustes normais de início de banda.

Na época (1993), a formação era a seguinte:

  • Philo: vocal principal
  • Luiz Maia: baixo e vocais
  • Duda Machado: guitarra solo e vocais
  • Murilo Naspolini: guitarra base e vocais
  • Luciano Fadel: bateria
  • Edinho Roldan: percussão
  • Flávio Santiago: trompete
  • Marcus Rocha: sax e teclados

Foram cerca de 3 anos com essa formação, com muitos ótimos momentos e shows, um roubada aqui e acolá, além de algumas discussões normais em um grupo composto por 8 cabeças de forte personalidade. O repertório ganhou mais músicas internacionais, principalmente porque agora o vocalista tinha o inglês por sua língua nativa. Tínhamos até músicas próprias em inglês, composições do próprio Philo.

Entre 1996/1997, Philo, Edinho e Flávio saíram do grupo para seguir seus projetos pessoais. O mais bacana é que a amizade com todos eles foi mantida, até hoje.

O ano de 1997 marca a entrada de Caio Beludo (Caio Cezar, fotógrafo na vida real) e a gravação do primeiro (e único) CD dos Stonkas, assinado por Nelson Meirelles que, entre outras bandas, produziu Cidade Negra e O Rappa. O repertório passou então a ser praticamente 100% composto por músicas próprias, em português. No ano seguinte, 1998, acontece o auge dos Stonkas, com shows no Abril Pro Rock (Recife) e MTV. Na época, não posso deixar de citar a entrada de Júlio Lemos no comando da operação técnica do som.

Nesse período, “éramos seis” e fechamos um acordo:  se um dos seis saísse, a banda parava. E no final do ano de 2000, em comum acordo, resolvemos todos nós darmos um tempo nos trabalhos musicais. Algo normal no mundo musical, fizemos a nossa tentativa de alcançarmos o “grande mercado”, mas não deu. O importante nisso tudo foram as experiências, risadas e amizades conquistadas. A formação final da banda ficou a seguinte:

  • Caio: vocal principal
  • Luiz Maia: baixo e vocal
  • Duda Machado: guitarra e vocal
  • Luciano Fadel: bateria
  • Murilo Naspolini: trombone e vocal
  • Marcus Rocha: sax, teclados, sampler e vocal

Ah, e eu não podia deixar de fora o amigo de sempre, roadie e até produtor Marcinho, o famoso “sorriso”.

Segue abaixo uma das últimas fotos dos Stonkas:

stonkas
De lá prá cá, nos reunimos várias outras vezes para fazermos um som e relembrarmos os bons momentos. Nesse meio tempo, fizemos um ou outro show, sem compromisso. O mais recente foi no ano passado, 2008, para os amigos no Drakkar, Floripa, com a formação completa.

Quem quiser saber mais dos Stonkas, o Google tem vários links.

E para quem quiser conhecer o som, ou matar a saudade das músicas dos Stonkas y Congas, deixo aqui a faixa “O Sapo do Rio Vermelho” (para baixar, clique aqui), gravada no CD lançado em 1998. Ficou curioso com o título da música? Ah, isso é história prá outro dia…

Anúncios

Comentários»

1. Patricia Xavier - 14/fevereiro/2010

Adoro Stonkas y Congas!!! Pena que acabou….

2. carlos oliveira - 1/maio/2010

pessoal, é show de bola, tem como baixar o cd de vcs…

rapidoerasteiro - 2/maio/2010
3. Sounds of the Digital Resistance « Blog Rápido e Rasteiro - 9/novembro/2010

[…] Porém, a História não tem sido justa o suficiente com o Audiogalaxy, na minha opinião. Creio que posso dizer isso porque participei de um feito histórico promovido por este mesmo site. O ano era 1.998, a internet como meio de divulgação digital de músicas estava apenas engatinhando. Na época, eu tocava com o Stonkas y Congas, banda sobre a qual já falei aqui neste blog. […]

4. marcelo - 16/fevereiro/2011

uma dos primeiros shows de reggae que eu fui, foi na Feinco,em São José-SC, acho que em 93.
fiquei de cara com a sonzera reggaezera paulada, pensei atá que era banda gringa (o vocal era o Philo, de Trinidad), depois reconheci o cara que tocava guitarra. Stonkas era foda!

5. Kinder Kloss - 22/setembro/2013

Tive o prazer de conhecer esses caras e o triste foi que eu presenciei o final desta história… o fatídico show no Clube Paula Ramos junto da banda Immigrant. Fui o último roadie deles e curti muito o pouco tempo em que trampei com estes malucos hehehe. Abraços aos amigos e fica a saudade dos bons tempos.


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: